VÍDEOS DO NOSSO CANAL

sábado, 28 de junho de 2014

A verdade sobre a misteriosa rádio russa que só transmite números

            

                  "AS MISTERIOSAS TRANSMISSÕES DE RÁDIO EM ONDAS CURTAS"


"O que poderia haver por trás de estranhas transmissões em código em conjunto com vozes abafadas feitas em frequências específicas, fora da faixa normal de sintonia?"

Foi após o ano de 1980 que os fabricantes tradicionais de transceptores para o Serviço de Radioamador tanto os americanos como os japoneses iniciaram a fabricação de equipamentos cujos receptores passaram a funcionar com uma cobertura total das ondas curtas, ou seja, fazem a recepção em banda corrida desde 1.8 MHz até os 30 MHz.
As ondas curtas referem-se à parte do espectro eletromagnético que corresponde às frequências compreendidas entre 3 e 30 MHz.
Sua principal característica é a propagação a longas distâncias, tornando possíveis comunicações tais como emissões radiofônicas internacionais (international shortwave broadcasting), radioamadorismo (ham radio) e coordenação de viagens a longa distância por estações móveis marítimas.

Como resultado da confecção e aprimoramento tecnológico, foi possível a escuta de muitos radioamadores e não tardou a surgirem pessoas que apenas ouviam o radio, dedicando-se a explorar as frequências fora das bandas de radioamador e para surpresa geral, foi nesta época que surgiram os primeiros sinais de rádio sumamente "estranhos".
Ao sintonizar o receptor do rádio nas frequências ao redor das utilizadas em ondas curtas, na parte da manhã ou na parte da noite, existe sempre a oportunidade de se ouvir um certo número de estações que transmitem números e letras em diversos idiomas, como o espanhol, inglês, russo ou alemão.
Estas estações acabaram ficando conhecidas como “Estações de Números”.
As primeiras transmissões das misteriosas “Estações de Números”, foram escutadas pelos rádio-escutas em princípios dos anos 60, mas somente bem mais tarde, por volta da década de 80 que a coisa veio a despertar maior interesse, pois foi nesta época que os radioamadores e rádio-escutas começaram a observa-las melhor pois dispunham de melhores receptores, principalmente os de banda corrida e melhores antenas, surgindo também nesta época muita especulação sobre o assunto e sobre a finalidade destas estranhas estações, que realmente acabaram gerando muita confusão e muita “fofoca” nos meios Radioamadorísticos.

As principais perguntas até hoje permanecem em aberto.
Qual seria a finalidade destas estações?
Para quem estariam transmitindo estas estações?
O que estas estações estariam transmitindo?
Seriam previsões meteorológicas codificadas?
Seria talvez parte de um estranho sistema de balizamento?

Alguns radio-escutas inclusive chegaram a imaginar e afirmar categoricamente de que estas estações com suas transmissões formavam parte de algum projeto secreto para comunicar-se com “OVNI's”, assunto que naquela época estava ganhando muita evidencia em todo o mundo.
Mais tarde, chegou-se a uma espécie de consenso coletivo na qual estas transmissões seriam mensagens enviadas por diversas agencias de inteligência e espionagem de diversos países para seus agentes em campo aberto, único sistema de contato disponível para comunicar-se com os seus agentes.
Foi nesta mesma época que os radioamadores e radio-escutas mediante as técnicas de seguimento e radiogoniometria realizadas descobriram que os lugares de emissão dos sinais de rádio transmitido pelas “Estações de Números” localizavam-se na antiga Alemanha comunista do leste.
Eles também localizaram uma “Estação de Números na Alemanha Democrática do oeste.
Desta forma existiam estações nas duas Alemanhas, alem de também terem sido descobertas estações com as emissões iguais provindas da Nicarágua, Cuba e assim também de certas bases dos Estados Unidos.
Com estas descobertas, a teoria passou a ser quase uma certeza, sendo que finalmente acabou sendo confirmada por ex-espiões americanos e ingleses.
Assim sendo, nesta época alguns dos ex-espiões americanos e ingleses aposentados que ao escreverem suas memórias divulgaram em seus livros que as “Estações de Números” fazem parte de um complicado sistema de comunicação e suporte das agências de inteligência e espionagem que fazem as transmissões destes sinais para enviar certas instruções necessárias aos seus agentes.

Porém, os radioamadores e os radio-escutas que possuem o habito de “corujarem” as frequências se deram conta de que mesmo com a queda do muro de Berlim, com a unificação das duas Alemanhas, com o final da Guerra Fria, com a falência da antiga União Soviética com a guerra do Afeganistão, com a guerra do Iraque e até com a atual globalização, estas estações não reduziram suas transmissões como era de se esperar, todas estão transmitindo normalmente até os dias de hoje, inclusive as estações que se encontram nas duas ex-Alemanhas, continuam transmitindo com a normalidade de como sempre o fizeram, como que nada tivesse acontecido.
O mistério ainda permanece, já que as “Estações de Números” encontram-se desde a parte mais baixa das frequências, como em 2 MHz e na parte mais alta das frequências como em 26 MHz.
As transmissões são em CW e fonia.
Estas estações podem ser ouvidas a qualquer momento do dia, mas a sua atividade tende a ser maior desde as 00:00' UTC, às 08:00' UTC. Se você duvida, pode procurar que certamente irá encontrar.  




              "A bizarra voz na estação de números russa"


Perto de Povarovo, na Rússia, há uma estação de rádio que transmite um misterioso ruído continuamente há 20 anos.
Esta estação provocou muitas discussões e teorias malucas em diversos foruns de radioamadorismo do mundo todo, mas foi em uma segunda-feira que a coisa que já era estranha, se tornou ainda mais bizarra.
Em uma segunda-feira, dia 23, no lugar do monótono ruído, entrou uma voz que dizia claramente em russo:

“UVB-76, UVB-76 — 93 882 naimina 74 14 35 74 — 9 3 8 8 2 nikolai, anna, ivan, michail, ivan, nikolai, anna, 7, 4, 1, 4, 3, 5, 7, 4?.

Esta misteriosa mensagem foi clara e repetida por duas vezes.
Depois, a rádio voltou ao ruído, com algumas transmissões de voz distorcidas de vez em quando.
Segundo os radio-escutas, é possível também ouvir barulhos, como se alguém movimentasse coisas dentro da sala de transmissão.
Os radio-escutas relataram que, no início do mês, houve também uma voz falando em russo.
A estação UVB-76 é conhecida como “The Buzzer” pelos ouvintes.
Normalmente ela transmite um ruído monótono com frequência de 21 a 34 vezes por minuto.
Segundo os investigadores desta frequência, somente em três ocasiões o barulho foi alterado: em 1997, em 2002 e finalmente em 2006.
Rádios deste tipo não são raras. São estações de ondas curtas que transmitem vozes geradas por computador que repetem números, palavras, letras e códigos Morse.
Não se sabe ao certo a razão das mensagens, mas há suspeitas de que sejam direcionadas a agentes secretos.

The Buzzer – A rádio fantasma

Em meados de 1982 foram captados pela primeira vez sinais de uma misteriosa estação de rádio que não transmitia música, nem nada relativo a uma programação normal de rádio.
Ela enviava apenas alguns sinais de ondas curtas, que só podiam ser captados por rádios que recebem esse tipo de sinal.
Este mesmo sinal de onda curta geralmente é transmitido na freqüência de 4.625kHz (AM suprimida abaixo de uma faixa lateral de uma banda de freqüências) e é chamado de UVB-76 (Também, por vezes, é referido como UZB-76, ou MDZhB).
Esta rádio recebeu o apelido de The Buzzer (“a cigarra”, em tradução livre) pelos ouvintes, pois transmitia um som vibrante que durava de 8 décimos de segundo até 3 segundos, repetindo-se entre 21 e 34 vezes por minuto, durante todas as horas do dia.
Até novembro de 2010, os tons de burburinho duraram aproximadamente 0,8 segundos, cada.
No último minuto o barulho pausado se tornava contínuo, ficando no ar até que o relógio marcasse uma nova hora.
Para completar todos os dias, das 07:00' da manhã até as 07:50', a transmissão ficava mais fraca, o que normalmente costuma acontecer com rádios normais, durante a madrugada, para diminuir o consumo e para possíveis manutenções.
Os sons emitidos pela Buzzer mudaram ao longo dos anos, porém não existe nenhum sentido nesses barulhos, do mesmo modo dos outros.

Em raras ocasiões, o sinal de alarme é interrompido e vozes surgem ao fundo, como se a transmissão fosse feita através de um microfone aberto, que capta acidentalmente (ou não) pessoas falando por perto.
Desde a descoberta da rádio, poucas vezes foram captadas vozes falando, mas elas eram sempre abafadas.
Em uma transmissão recebida no dia 03 de novembro de 2001 pôde-se ouvir isso: “Eu sou o 143. Eu não recebi o oscilador.
Esse material vem da sala de hardware”.
Apesar de muita especulação, o verdadeiro objetivo desta estação permanece desconhecido para o público.
Freqüentemente, as conversas distantes e outros ruídos de fundo podem ser ouvidos por trás da campainha, sugerindo que os tons de zumbido venham de um dispositivo colocado atrás de um microfone ao vivo e constantemente aberto (em vez de uma gravação ou sons automatizados sendo alimentados através de equipamentos de reprodução) ou que um microfone possa ter sido ligado acidentalmente.
Mensagens de voz de UVB-76 eram muito raras até que uma onda súbita de atividade surgiu no segundo semestre de 2010.
Elas normalmente são dadas em russo por uma voz ao vivo e de forma repetida.
Pelo menos sete das tais mensagens foram ouvidas em mais de vinte anos de observações não-contínuas.
Alguns exemplos de mensagens incluem:a UVB-76, Ya UVB-76. 180 08 BROMAL 74 27 99 14. Boris, Roman, Olga, Mikhail, Anna, Larisa. 7 4 2 7 9 9 1 4."
Em 1335 UTC de 23 de agosto de 2010: "UVB-76, UVB-76 93 882 74 14 35 NAIMINA 74.

Outras coisas que foram ouvidas incluem músicas e discussões, sugerindo que as transmissões de UVB-76 eram feitas em frente a um microfone aberto.
Além da UVB-76 existem outras duas rádios semelhantes, chamadas de E11 e E25.
As três são investigadas há muito tempo, porém ninguém jamais conseguiu localizá-las ou mesmo entender o que elas pretendem com essas transmissões, até mesmo o governo russo declarou que não sabe nada sobre elas.
Muitas teorias dizem que elas podem ser remanescentes da guerra fria e servem para monitorar acontecimentos em diversas partes do planeta.
Essa teoria foi baseada após algumas coordenadas serem ouvidas no meio dessas transmissões e apontarem diversos lugares do mundo, sendo um deles uma base em Povarovo (Rússia), localizado nas seguintes coordenadas (Latitude / Longitude = : 56°5′0″N 37°6′37″E / 56.083333°N 37.11028°E / 56.083333; 37.11028).
A região se encontrava a meio caminho de Zelenograd e Solnechnogorsk e 40 km (25 milhas) a noroeste de Moscou, perto da aldeia de Lozhki.
Sabendo disso o governo russo mandou pessoas para investigar o local e o resultado foi frustrante, pois o lugar parecia estar abandonado há anos, porém existiam algumas partes trancadas de tal maneira que não puderam ser acessadas.
Por esse motivo os segredos que essas salas guardam ainda são um mistério.

O objetivo da UVB-76, portanto, ainda não foi confirmado por funcionários do governo e nem oficiais de transmissão, no entanto, o ex-ministro das Comunicações e Informáticas da República da Lituânia escreveu que o propósito das mensagens de voz seria o de confirmar que os operadores de estações de recepção estão em alerta.
Observa-se que é super estranho o fato de que, como podemos ouvir pessoas falando em meio ao som da campaínha, ela não é uma coisa automatizada, e sim um som gerado numa sala e captado por um microfone… DURANTE 20 ANOS!
Outra coisa estranha, e que pouca gente sabe é que este sinal é transmitido em duas frequências diferentes. Uma para a Europa e outra para a America.Outro detalhe que é importante observar é que este complexo de antenas requer um conjunto de investimento maciço, consumindo uma fabula de energia elétrica. Apenas para fazer “beeeeeep… beeeeep….”?

Muitos ouvintes já se reuniram afim de tentar decodificar a mensagem.
As suposições mais promissoras sugerem que os números talvez sejam relativos à coordenadas geográficas. Neste caso, eles levariam a um ponto do mar Báltico, entre a Noruega e a Rússia, onde há produção de petróleo e gás em larga escala e onde também o exército da Rússia estaria planejando testar mísseis antiaéreos. E se o Relato de um Mib não tivesse acabado, eu talvez dissesse que há ali um dos “pontos mágicos”.
Falando em estações de ondas curtas estranhas, existe uma conhecida como “pica-pau”.

Ver: https://www.youtube.com/watch?v=V_eDqZt0RP8
Ver também: https://www.youtube.com/watch?v=hH6C0kun5DU